7 de dez de 2011

Once Upon a Dream - Capítulo 5 (SUPER SUPER BIG)

*Anteriormente*

       Olhamos um no olho do outro, eu coloquei meus braços em volta de seu pescoço. Fomos chegando mais perto, nossos rostos estavam quase colados, eu já podia sentir a sua respiração. Estávamos á 2 cm de nos beijarmos, quando, de repente...


       ...a porta se abre e meu pai aparece.

Pai: Clair, o que está fazendo aí fora? (olha pro Taylor) E você, rapaz? O que faz aqui?
Taylor (solta a minha cintura, nervoso): Ah, senhor, eu vim apenas... deixar sua filha em casa.
Pai: Pronto, ela já está aqui, agora já pode ir. (Pai ciumento, ninguém merece! ¬¬')
Clair (em português): Paizinho, deixa eu só me despedir dele. (faz carinha igual a do Gato de Botas)
Pai (em português e revirando os olhos): Tá bom, mas só 5 minutos. Tô de olho, ein?! (fecha a porta)

       Eu ri um pouco. Meu pai nunca foi tão ciumento, mas também Taylor era meu "1º" namorado! Olhei pro Taylor, ele olhou pra mim e disse:

Taylor: Bom, acho melhor eu ir.
Clair: É! (selinho) Até amanhã!
Taylor: Até, linda! (beijo)

       Taylor foi embora. Eu entrei em casa e vi meu pai sentado no sofá da sala:

 olhando com uma cara de "Finalmente!". Em casa nós só falamos português.

Clair (em português) Pai, por que fez aquilo?
Pai: Ué?! Tava tentando proteger minha filhinha!
Clair: Pai, eu tenho 17 anos! Bom, quase... mas já sou quase independente!
Pai: Eu sei filha, mas é que eu não confio naquele garoto! Ele parece que só quer te magoar. E já conseguiu uma vez, não foi?

       Eu olhei pro meu pai com uma cara assim: O.O, depois fiz uma de "WTF?" pra disfarçar.

Pai: Filha, sua mãe me falou que ontem você estava chorando por causa desse garoto...
Clair (interrompendo): Pai, eu estava magoada. Mas nós dois nos resolvemos e  ele prometeu que não ia mais fazer isso comigo. Se ele fizer de novo... (parei, não conseguia dizer aquilo.) Pai, eu vou pro meu quarto!

       Me virei e subi pro meu quarto. Passei pelo quarto de meu irmão.

   Ele tinha 15 anos, era muito protetor, uma coisa que eu gostava nele, mas muitas vezes era muito chato, uma coisa que eu não gostava nele. Ele era mais alto que eu e muitas vezes já pensaram que ele era mais velho que eu.
(imaginem que ele tem só 15 anos, ok? e que o nome dele é Peter! ;D)

   Enfim, eu passei pelo quarto dele e o vi pensativo na cama, uma coisa que ele nunca costumava fazer. Bati na porta, apesar de estar aberta.
Clair: Posso entrar? (em português)

       Ele assentiu com a cabeça, mas continuou olhando pro teto. Eu odiava vê-lo assim.

Clair: Pedro, o que foi?
Peter: Não aconteceu nada, Clara!

(*narradora on* Gente, os personagens tem nome em português, mas pra facilitar os outros de pronunciarem os nomes, ele usam o nome deles em inglês, como se fossem apelidos. *narradora off*)

Clair: Eu sou sua irmã, você sabe que pode se abri comigo!

       Ele fechou os olhos, respirou fundo, se sentou, olhou nos meus olhos e começou a contar o que aconteceu.


Peter: Eu tava na escola, depois da aula porque eu ia fazer uma prova que eu não tinha feito.
Clair: Disso eu sei, Pedro, eu até falei com você lá, mas o que isso...
Peter (interrompendo): Deixa eu terminar!


       Fiz que "sim" com a cabeça e ele continuou.


Peter: Bom, depois de ter falado com você eu fui fazer a prova e depois, quando eu estava indo pra quadra me encontrar com você, eu vi a... (ele não conseguia terminar de falar)


       Percebi uma lágrima escorrer de seu rosto. Nada abalava meu irmão, eu o conhecia e muito bem. Aquilo devia ser por causa da namorada dele, a Kristen:


    Eu achava que ela amava meu irmão. Pelo menos o olhar que ela dava pra ele era de apaixonada, assim como ele olhava pra ela. Eles eram tão felizes juntos, desde a outra escola em que estudavam juntos. Mas esse ano chegou um menino novo, um tal de Robert, aluno de intercâmbio que veio da Inglaterra:


   eu pude perceber que ela não olhava meu irmão mais da mesma maneira que antes. E parecia que ela só queria usá-lo para atrair esse Robert. Eu tentei avisá-lo, mas ele não acreditava em mim, por estar apaixonado por ela. Mas ás vezes o amor nos deixa assim, sem saber o que fazer, e nos mete em ciladas para nos testar.
       Meu irmão me abraçou. Eu não gostava de vê-lo assim, me sentia mal junto com ele. Ele deitou a cabeça em meu colo com sempre fazíamos quando tínhamos problemas, para ele era muito raramente, mas ás vezes fazíamos isso apenas para conversarmos, o que era frequente. Eu fiquei acariciando seus cabelos cacheados, até que eu disse:


Clair: Foi a Kristen, não foi?


       Ele fez que "sim" com a cabeça, se virou e olhou pra mim.


Peter: Ela...estava...bei-jando aquele... aluno de intercâmbio.
Clair: O Robert?
Peter: É! Eu devia ter te ouvido, quando você disse que ela tava me usando desde o mês passado. Você tinha razão, Clara! (se levantando de meu colo)
Clair: Eu não queria ter razão! (o abracei) Nesse momento eu queria estar completamente errada. Me desculpa, Pedro!
Peter: Não era pra você se desculpar! Você não fez nada. (sorri)

       Eu sorri. Eu queria e gostava de vê-lo sorrindo. Eu o abracei de novo, só que mais forte e ele fez o mesmo.


Peter: Obrigado, Clara!
Clair: De nada, Pedro!


       Nos soltamos, ele já havia limpado as lágrimas que caíram de seu rosto. Ele olhou pra mim e disse:


Peter: Então maninha, como foi hoje? Se resolveu com o Taylor, né?
Clair: Resolvi hoje de manhã, mas na hora do treino o Chris fez uma "enterrada" pra mim no último segundo... (contei tudo á ele)
Peter: Nossa! (Peter estava assim ---> O.O)
Clair: Pois é!
Peter: Bom, vamos ver no que dá, né? Mas se ele te magoar, ele vai se ver comigo.


(*narradora on* Na história, Peter era mais forte que Taylor. E Taylor não sabia "lutar" muito bem, já Peter fazia aulas de luta, ok? ;D *narradora off*)


Clair (rindo): Para, seu bobo!
Peter: Besta!


       Ele pulou em cima de mim e começou a fazer cócegas em mim. Eu não parava de rir. Ele me pressionou contra a cama e continuou fazendo cócegas e mais cócegas.


Clair: kkk... PARA PEDRO... kkk... POR FAVOR!


       Ele parou, me abraçou. Eu estava com "raiva" dele, mas não consegui mantê-la por muito tempo e retribui o abraço. Eu senti uma dor em um canto da minha barriga. Eu o soltei, levantei um pouco minha blusa e lá estava ele. Um hematoma da tamanho de uma unha, era pequeno, mas doía um pouco. Peter olhou indignado para aquilo e começou a se desculpar feito doido.


Peter: Ai! Clarinha, desculpa, desculpa, maninha! Eu não...
Clair (interrompendo): Calma, Pedro! Eu sei que você não fez por mau, mas... maninho, por favor toma mais cuidado. Você é muito forte! E eu te desculpo! (abraço) Bom, eu vou pro meu quarto, quero entrar no computador antes do jantar.


       Sai de seu quarto e fui em direção ao meu.
 (imaginem no lugar do guarda-roupa uma porta que dá pra um closet, ok?)

   Coloquei meu iPhone pra carregar, peguei meu notebook e entrei no twitter.

    Vi alguns twitters engraçados e dei rettweet. Depois postei:

"Sozinha em meu quarto, pensando em tudo que aconteceu hoje. @ você está bem?"

       Assim que postei isso recebi uma reply do Chris.

"@ estou bem! Cait quer falar com você. Ela quer te dar uma coisa hoje, antes do seu grande dia!"

"@ ok, to esperando ela, mas ela não podia esperar até amanhã, que é, como você diz, 'o grande dia'?"

"@ segundo ela, não!"

       A campainha tocou, com certeza devia ser a Cait. Eu ein, que menina rápida?! Ela mora na outra rua. Se bem que eu não sei quando que ela saiu de lá.

"Já volto amores, Vou atender a porta! Deve ser a @CaitBeadles(eu inventei, pq nao tenho a Cait)! Vou lá ver." - postei no twitter antes de descer.

       Eu desci quase correndo, cheguei na porta e olhei no olho mágico. E não é que eu acertei? Era a Cait. Abri a porta e ela me abraçou. Como se eu não tivesse visto ela hoje.

Cait: Amiga, eu preciso te contar uma coisa. Ou melhor, mostrar pra você!
Clair: Tá bom, vamos no meu quarto!

       Subimos correndo. Ao passar pelo quarto do meu irmão Cait deu um "oi" pra ele rapidamente e depois voltou a seguir em direção ao meu quarto. Chegando lá, ela se sentou em minha cama, eu fechei a porta.

Clair: Então, (sentando na cama) o que você queria me mostrar que não pode esperar até o "grande dia" de amanhã?
Cait: Quem te contou que eu tava vindo e que era alguma coisa que não podia esperar pra mostrar amanhã?
Clair: Seu irmão. Dã?! Mas ele não me falou o que era.
Cait: Pelo menos, né? Mas, enfim, olha só pra isso.

       Ela tira um CD da bolsa, mas não era um CD qualquer era o CD do Justin! OMB! *-*

Clair: Cait, como foi que você...
Cait (interrompendo): ... conseguiu isso? Ah, o Justin me deu e tem mais 3 cópias. Uma tá com o Chaz, outra com o Chris e a outra...

       Ela não continuou, o que me deixou morrendo de curiosidade. Provavelmente ela ia falar "com o Ryan" ¬¬'. Mas ela começou a mexer em sua bolsa e tirou de lá o mesmo CD e que, assim como o dela, estava autografado. Meus olhos brilharam! Nele estava escrito: "Para um alguém especial, com amor Justin!"

Cait: A outra é pra você! Eu que pedi pra ele colocar "alguém especial". E ele é pra te dar toda a sorte do mundo. Amanhã é o grande dia, Clair, e você terá uma surpresa.

       Xii.... Quando a Cait dizia isso não era coisa boa! ¬¬' Sempre que ela falava "surpresa" eu tinha calafrios, porque, geralmente, sobrava coisa ruim pra mim. Já levei banho de Coca-cola, mangueirada, já fui jogada na piscina, etc. Mas dessa vez não senti nenhum calafrio, então estava tudo certo. Ou pelo menos eu acho?!
       De início eu não acreditei. Ele havia acabado de gravar o CD e a Cait já o tinha! Assim que ela tirou ele da bolsa eu fiquei assim ---> O.O, e assim ----> *-*, ao mesmo tempo,

Clair (sem palavras): OMB! Cait... como foi que... eu nem acredito! O CD só...
Cait (interrompendo de novo): ...vai ás lojas semana que vem! É eu sei! =)

       Eu já te disse como eu amo  a Cait? Ela sempre sabe das coisas do Justin antes de qualquer um. Inclusive a imprensa de Atlanta. Apesar de não ter muitos paparazzis atrás dele aqui, muitas vezes ele só é perseguido pelas "poucas" Beliebers de Atlanta e poucos paparazzis.

(*narradora on* Gente, na minha história o Justin é só famoso em Atlanta, como eu já disse antes, e tem cerca de 1.000 Beliebers em Atlanta, sendo 25% delas estéricas, mas não é sempre que elas correm atrás dele, assim como os paparazzis. *narradora off*)

Clair (abraçando-a): Cait, você é a melhor amiga que se pode ter nesse mundo.
Cait: Eu sei!
Clair: Nem é convencida! ¬¬'
Cait: Bom, amiga, eu vou indo. Esteja bem bonita pra amanhã!
Clair: Ok, Cait!

       Ela foi embora. Depois eu jantei com minha família, tomei um banho e coloquei meu pijama:
(pijama Clair)

(banheiro Clair - imaginem um chuveiro ali onde tem a banheira, ok?)

(closet Clair)

       Quando estava saindo do meu closet eu vi a caixa que estava em cima da área onde ponho meus vestidos. Nela estava escrito "Diego". Apenas eu, Ryan, Cait e a minha família sabíamos de sua existência, mas nunca a mostrei pra Cait. Apaguei as luzes do closet, fui pra minha cama, sabendo que se ficasse mais tempo naquele closet eu começaria a chorar. E em pouco tempo, dormi.





E aqui acaba esse capítulo! No próximo terá mais emoção, ou no 6 ou no 7, não sei.
Obrigada ás leitoras que acompanham o blog.
Por favor eu peço á vocês que divulguem o blog!
Beijinhos,
       Clara
       @

Um comentário:

O que acham que vai acontecer?
Expressem opiniões sinceras, por favor!
Estão Gostando?